ECONOMIA

A palavra oikonomia, do grego antigo, referia-se à administração de uma casa. Hoje, o termo economia ganhou um significado muito mais amplo: é a ciência que estuda produção, distribuição, acumulação e consumo de bens materiais na sociedade. Num ambiente de mercado, os bens e serviços têm um valor determinado, de um lado, por seus custos de produção e, de outro, pela avaliação subjetiva que as pessoas fazem de sua utilidade. Assim, economia é também o estudo do comportamento das pessoas em relação às trocas que fazem com outras. A complexidade dessa ciência deriva da crescente variedade de bens e serviços que as sociedades modernas se dedicam a criar e a distribuir. As ciências econômicas são divididas em macroeconomia e microeconomia.

Macroeconomia
O que define a macroeconomia é a análise do funcionamento da economia como um todo. Assim, dada uma área geográfica, a macroeconomia trabalha com as informações agregadas que representam a totalidade de suas atividades econômicas. Em princípio, pode-se estudar a macroeconomia de uma cidade, um estado, uma nação ou do mundo todo. Na maior parte dos casos, é utilizada para avaliar, e eventualmente comparar, o desempenho econômico dos países. Cada governo tem seus objetivos com relação ao país que dirige. Um dos principais propósitos dessa área da ciência econômica é permitir que as autoridades tomem decisões sobre política econômica de modo fundamentado e adequado aos objetivos aos quais se propõem. Trazemos, em seguida, alguns dos principais conceitos utilizados na macroanálise das economias.

Microeconomia
Microeconomia é a parte da ciência econômica que estuda as características e o comportamento de cada agente econômico – ou seja, de cada produtor, trabalhador, comerciante e consumidor – nas relações econômicas que tem com os demais e no contexto de cada transação que efetua.

AGENTES ECONÔMICOS
Os agentes econômicos são as pessoas ou grupos de pessoas que fazem a economia funcionar na prática. São as pessoas que dão valor às mercadorias, produtos e aos serviços e estabelecem as trocas uns com os outros. Em economias modernas e complexas como as que existem hoje, as pessoas desempenham diversos papéis. Ora são trabalhadores e consumidores, ora são dirigentes de entidades que agem de acordo com os interesses das organizações que representam. Portanto, convém definir os principais atores de uma economia, pois cada um tem diferentes objetivos e incentivos e influencia a economia de maneira particular.

ECONOMIA REAL
Convencionou-se chamar o conjunto de atividades ligadas diretamente à produção e à distribuição de bens e serviços de economia real. Isso por contraste com os mercados financeiros, nos quais, mais do que os valores criados pela produção, podem-se negociar hipóteses futuras. Assim, usa-se esse termo para distinguir os valores com lastro em coisas tangíveis – a economia real – dos que não têm esse lastro e constituem a economia financeira.

ECONOMIA FINANCEIRA
Com o objetivo de facilitar as transações econômicas, criaram-se no decorrer do tempo diversos instrumentos que representam valor, mas não têm valor intrínseco. É comum referir-se a esse conjunto de instrumentos como papéis ou títulos, uma vez que nada mais são do que promessas registradas em papel. Dinheiro, ou papel-moeda, por exemplo, é uma promessa do governo que o emitiu de honrar o valor estampado em sua face. Em economias modernas, os próprios títulos, ou ativos financeiros, tornaram-se objeto de negociação pelo valor que representam no presente e, sobretudo, pelo potencial que têm de se valorizar no futuro próximo ou longínquo. O conjunto das transações envolvendo exclusivamente esses papéis compõe a economia financeira. Essas operações são realizadas por meio de instituições financeiras, que se dividem em bancos comerciais, bancos de investimento, bancos múltiplos, corretoras, seguradoras e sociedades de crédito. No cálculo do Produto Interno Bruto (PIB), essas operações econômicas integram a área de serviços.

POLÍTICA ECONÔMICA
Governos têm grande influência sobre a economia de seu país. O conjunto de normas estabelecidas e medidas tomadas por um governo para atingir objetivos econômicos é chamado de política econômica. O objetivo universal de qualquer política econômica é estimular o crescimento da economia e garantir a estabilidade das condições das atividades econômicas. Os quatro principais aspectos da política econômica de um país são as políticas cambial, comercial, fiscal e monetária, mas a atuação de um governo pode ir além delas.

Fonte: Almanaque Abril 2012.